16 DE SETEMBRO – DOMINGO

14h30h às 15h30

Festa de premiação: “Entrega do Prêmio Hydra”

O Concurso Hydra de Literatura Fantástica Brasileira, uma parceria entre a revista eletrônica norte-americana Orson Scott Card’s Intergalactic Medicine Show e o website brasileiro A Bandeira do Elephante e da Arara, visa expor o melhor da literatura fantástica brasileira para leitores em língua inglesa do mundo inteiro.

Um painel composto por três juízes selecionou três finalistas entre os contos de literatura fantástica publicados no Brasil pela primeira vez nos anos de 2009 e 2010. O conto vencedor foi selecionado pelo escritor norte-americano Orson Scott Card, autor dos livros Jogo do Exterminador e Orador dos Mortos e um dos escritores mais premiados de ficção científica no mundo.

Após a leitura de mais de 100 contos inscritos, os juízes do Concurso Hydra selecionaram 3 contos finalistas e enviaram para o escritor Orson Scott Card, que definiu o grande campeão. O escolhido do escritor norte-americano foi “(História com desenho e diálogo)” de Brontops Baruq. O conto receberá tradução para o inglês e será publicado na revista eletrônica Orson Scott Card’s Intergalactic Medicine Show.

E para tornar o concurso ainda mais especial, os editores da revista anunciaram que também publicarão o segundo colocado em edição futura da revista. O conto escolhido foi “Por um Fio” do Flávio Medeiros Junior. Christopher Kastensmidt, organizador do concurso diz: “O fato da Orson Scott Card’s Intergalactic Medicine Show concordar em publicar não apenas uma, mas duas das histórias finalistas mostra o prestígio da comunidade de ficção especulativa brasileira, aquela que trabalha incansavelmente, mas quase não recebe o reconhecimento fora das fronteiras do Brasil.

O nome do Concurso Hydra vem da constelação. Sendo um grupo de estrelas com nome de um monstro mítico, a constelação Hydra é símbolo da fantasia e ficção científica produzida pela comunidade de escritores de ficção especulativa. A constelação atravessa a equador celestial, unindo os hemisférios celestiais norte e sul, da mesma maneira que o Concurso Hydra espera juntar os hemisférios norte e sul de ficção especulativa. A constelação Hydra também aparece na bandeira brasileira.