Sábado e Domingo — a partir das 13 horas

— curadoria Martha Argel e Humberto Moura Neto

Durante o Fantasticon, haverá um ponto oficial de Bookcrossing, com dezenas de livros gratuitos – Fantasia, Horror, Ficção Científica e muito mais.

O BookCrossing procura transformar o mundo numa grande biblioteca. A ideia é simples: deixar livros em locais públicos (cafés, bancos de praças, metrôs…) para serem encontrados e lidos por outras pessoas, que depois farão o mesmo. Assim, cada volume pode ser apreciado por muitos leitores, em vez de passar anos a fio juntando pó na estante de um só dono.

Ajude-nos a garantir o sucesso do Bookcrossing na Fantasticon!  Visite www.bookcrossing.com.br, cadastre-se e venha libertar seus livros em nosso ponto de libertação, batizado de Ideias e Livros Livres.
Vale trazer não apenas livros de Literatura Fantástica, mas de qualquer outro gênero de ficção e mesmo de não-ficção. Basta que sejam livros bacanas e em estado aceitável de conservação.

Mais informações
O funcionamento do BookCrossing é simples e divertido. Antes de ser “libertado”, cada livro é registrado no site, www.bookcrossing.com.br, e ganha um número de identificação. Então recebe uma etiqueta (disponível para download no site) com esse número e informações sobre o projeto, e está pronto para ganhar o mundo. O número de identificação permite acompanhar, pelo site, as andanças do livro. Ainda, os sucessivos leitores podem manter contato entre si e saber a opinião de cada um sobre a obra.

Visite o site www.bookcrossing.com.br e descubra mais sobre a história e as propostas do projeto, e também dicas para a libertação de seus livros.

Para muitos autores, o BookCrossing é uma forma de divulgação de suas obras. Ele incentiva a leitura e ajuda a formar público leitor. Muitos bookcrossers costumam comprar seus livros favoritos para libertar ou passar para amigos; também costumam usar o site para fazer recomendações de leituras.

A prática do BookCrossing chegou ao Brasil em 2001, poucos meses depois de ter surgido nos EUA.  No Brasil, além da libertação rotineira de livros, o projeto conta com a ajuda voluntária de seus membros, para a criação de pontos fixos de Bookcrossing e para a “libertação em massa” de livros durante eventos como a Bienal Internacional do Livro de São Paulo, a FLIP, o Festival da Mantiqueira (São Francisco Xavier, SP) e, agora, também no Fantasticon.